Tela Azul

Não sei se você vem aqui sempre esperando receitas. Nem eu mesmo sei se eu criei o blog pra compartilhar só gastronomia, mas a verdade é que eu demoro mesmo pra escrever! Não por falta do que falar, mas por muitas vezes me dá tela azul.

Sabe, quando você está no computador e parece que ele ficou confuso, tem muita coisa acontecendo no sistema que ele simplesmente fica com a tela azul? Pois é! Sou eu ultimamente. Uma enorme e inerte tela azul.

Resolvi então compartilhar ela com vocês, por motivos de preciso de uma penseira, pq não tá rolando tudo na minha cabeça, tá confuso demais.

Já mencionei em algum post anterior que eu faço uma terapia da linha Reichiana, e desde que eu comecei (acho que tem uns dois anos), eu nunca me desconstruí tanto. É tanta consciência sobre as minhas ações e o quanto um monte de software/padrão de funcionamento foi instalado em mim ao longo dos anos que, agora que eu tô tendo noção deles, e os desconstruindo, tá me dando tela azul. Parece que eu genuinamente e ingenuamente não sei funcionar diferente. Dá uma bugada nos meus neurônios e eu não sei mas quem sou eu de verdade.

Você já se perguntou quem na essência, é você?! O que de você é seu mesmo ou é algo que te falaram e que você acreditou tanto que achou que era seu?! O que realmente te importa?!

Quanto tempo eu perdi “…fingindo que eu era um cara diferente pra ver se essa gente finge que me ama…” (Projota). Eu sou um clichê reichiano, freudiano e leonino caminhando pelas ruas de Icaraí.

Nesse caminho horrível e incrível de desconstrução, me peguei querendo de verdade uma casinha simples, no meio da natureza com uma cozinha rústica e um forno a lenha ao invés da vida intensa de uma cidade grande, o que achei que era o meu maior sonho. Fui aprender o que é amor sendo pega de surpresa por um neném que não é meu mas insiste em falar que me ama todos os dias só com um olhar.

Ego? Tenho de sobra!

Se eu for falar de medos então, puta merda! Primeiro que eu só consegui dá nome a esse sentimento depois de muitas sessões de terapia, pq eu não percebia nem quando os tinha… ou será que eu tinha medo de ter medo?! Ou aceitar que eu, tão foda que sou (ego), tenho medos?!

Perguntas e mais perguntas!

Respostas, queridas, vocês estão por aí?!

É desse montão de perguntas que é formada a minha tela azul. Vim dá essa desabafada pq acredito que tem gente tão azul quanto eu e dizer que tudo bem estar assim, pq ao falar pra você, eu acabo falando pra mim mesmo e, assim como a Hannah Gadsby, eu acredito que

“…Blue, if anything, is a feminine color. It really is full of contradictions. You know, blue is a cold color. It’s on the cold end of the spectrum. But the hottest part of the flame? Blue. If you’re feeling blue… you’re sad. But optimism? Blue skies ahead! Make up your mind. A blueprint is a plan, but if something happens not on the plan, where does that come from? Out of the blue! Blue’s a wonderful color to start life with. There’s room for every kind of human in blue.”

Percebe que eu não estou falando de um jeito racional e objetivo. Seria lindo se fosse fácil e lógico, mas a mente da gente tem o tempo dela. Falo de algo que vai além do que nos convencermos todos os dias que mudamos, que somos isso ou aquilo e que é assim que é a vida. Racionalmente é tudo muito lindo, mas a mente, não é nada tradicional, ela segue o seu próprio tempo e pra conversar com ela é preciso muita compaixão com vc mesmo. A gente tá numa sociedade doente exatamente pq é  emocionalmente reprimida e de soluções rápidas. A tela azul, acho que é esse começo de liberdade, mas que precisa do próprio tempo e de muita compaixão de vc pra vc mesmo pra que assim, a mudança e a consciência seja verdadeira e de mente, pq se não, novamente, vc acha que tá mudando, mas no final só tá se reprimindo

Que toda essa nossa tela azul seja uma releitura moderna de uma tela branca que a gente possa pintar do jeito que a gente quiser, sem julgamento, sem pressão, sem padrão, sem resistência e que no final ela seja cheia de todas as cores e perspectivas de nós sobre nós!

Para os dias em que a tela azul é irreversível, pq eles existem, segue meus conselhos:

  • Meditação;
  • Técnicas de Respiração;
  • Ouvir aquela música maneira e cantar com ela;
  • Socar o travesseiro

Quando todas as técnicas falharem, tenho as saídas de emergência:

  • Overwatch;
  • Attack on Titan;
  • Fullmetal Alchemist
  • Qualquer outra coisa que você curta que esteja no Netflix

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s